What’s behind these doors? This question stayed in my head for rest of the walk…

Love, Ice cream and seeds. When you enter the red door (don’t forget to close it after you) you’ll  find a long corridor that will led to a Japanese garden on the backyard.… Continuar a ler

Today’s early morning-shower-thoughts found in the evening at social networks…

“[…] uma boa definição de homem, para além de suas limitações físicas, seria a de que é um ser de embrionária liberdade, cujo dever, cujo destino e cuja justificação é o da liberdade… Continuar a ler

Rain Hat

Encounters of a walking dog, a person and a camera…

HOTEL

There’s always a way. The hotel makes me fell comfortable.  

A minha obra, evidentemente, é uma reflexão sobre os lugares comuns da experiência colectiva.

  in http://elojocondientes.files.wordpress.com/2013/02/guia-para-artistas.jpg

‘É uma coisa bonita, a minha arte é fazer todas as flores que nascem.’

Então está a tirar fotografia ao meu palácio? Sim, aquela é a minha janela e tenho outra para o outro lado. Interpela-me. Eu respondo: e é muito bonita. Diz ela: e eu vivo… Continuar a ler

Sobre a Intencionalidade

  Pensar sobre aquilo que me move enquanto artista provoca-me alguma desconfiança. Por um lado, desconfio sempre que posso cair nas águas profundas das razões pessoais, dos estados emocionais e outros que tais. Algo… Continuar a ler

Homework

Seleção das obras a mediar Jardim de Serralves + Um jardim catóptrico, Ângelo Sousa + Double exposure, Dan Graham + Interior da Casa de Serralves (espelhos,vidros, reflexos) + Ser árvore e arte, Alberto Carneiro… Continuar a ler

Sobre mediações…

O que me move pessoalmente? Pensar sob o ponto de vista da intencionalidade. ‘Como mediar sem olhar em volta?’ Samuel. ‘ O mediador é a própria obra de arte.’ Elvira. Dar voz ao… Continuar a ler

O Museu Imaginário _Repérage 2_Serralves

Repérage para O Museu Imaginário