Rain Hat

Encounters of a walking dog, a person and a camera…

HOTEL

There’s always a way. The hotel makes me fell comfortable.  

A minha obra, evidentemente, é uma reflexão sobre os lugares comuns da experiência colectiva.

  in http://elojocondientes.files.wordpress.com/2013/02/guia-para-artistas.jpg

‘É uma coisa bonita, a minha arte é fazer todas as flores que nascem.’

Então está a tirar fotografia ao meu palácio? Sim, aquela é a minha janela e tenho outra para o outro lado. Interpela-me. Eu respondo: e é muito bonita. Diz ela: e eu vivo… Continuar a ler

Sobre a Intencionalidade

  Pensar sobre aquilo que me move enquanto artista provoca-me alguma desconfiança. Por um lado, desconfio sempre que posso cair nas águas profundas das razões pessoais, dos estados emocionais e outros que tais. Algo… Continuar a ler

Homework

Seleção das obras a mediar Jardim de Serralves + Um jardim catóptrico, Ângelo Sousa + Double exposure, Dan Graham + Interior da Casa de Serralves (espelhos,vidros, reflexos) + Ser árvore e arte, Alberto Carneiro… Continuar a ler

Sobre mediações…

O que me move pessoalmente? Pensar sob o ponto de vista da intencionalidade. ‘Como mediar sem olhar em volta?’ Samuel. ‘ O mediador é a própria obra de arte.’ Elvira. Dar voz ao… Continuar a ler

O Museu Imaginário _Repérage 2_Serralves

Repérage para O Museu Imaginário

O Museu Imaginário _Repérage 1

Repérage para O Museu Imaginário

The Small Dance

  `Relax deep into the cone of the eye socket. Imagine a line that runs between the ears. That’s where the skull rests. Make the motion, very small, for “Yes.” This rocks the… Continuar a ler